Historiador reúne fotos antigas de LGBTs em perfil no Instagram

Renan Sukevicius

 Analógicas e em preto e branco, são assim quase todas as fotos do perfil LGBTIs de Todos os Tempos. E tudo bem ter pouca cor. Muitos dos registros de beijos, abraços e afetos entre pessoas do mesmo sexo são de tempos anteriores ao da bandeira colorida, das plumas e das paradas por ruas e avenidas.

As caras e bocas dos retratos carregam em si a dureza de tempos com bem menos direitos à população não heterossexual.

O curador do perfil é João Gomes Junior, professor, historiador, poeta e militante LGBTI+, que estendeu à rede social parte do resultado de sua pesquisa de mestrado.

O estudo das relações homoeróticas e a prostituição masculina no Rio de Janeiro entre 1890 e 1938 o fez encontrar fotografias de homens que mantinham relações sexuais e afetivas com outros homens.

“Depois disso, quando defendi a minha dissertação, no começo do ano passado, passei a receber de amigos e amigas e a encontrar em sites e redes sociais, de maneira muito esparsa, imagens de casais, personalidades e histórias de muitas vivências e experiências homoeróticas e homoafetivas no passado”, relembra.

A proposta das fotos vai além da continuidade do trabalho de pesquisa. “A partir do discurso moralista recorrente em nossa sociedade de que ‘no tempo deles não tinha isso’, resolvi postar as fotos, falando um pouco da história daquelas pessoas, nossos antepassados, confrontando esse discurso”, descreve o João Gomes Junior.

O projeto acabou de fazer 1 ano, e João tem o apoio de seguidores que apontam novas velhas fotografias até então escondidas na internet.

Um dos desafios é saber a identidade de todos os fotografados. “Nem sempre essas informações estão disponíveis, mesmo que eu procure exaustivamente, o que acarreta numa defasagem que, felizmente, não compromete o conteúdo postado nem a proposta da página”, pontua o historiador.